pt organic agriculture

agricultura orgânica
woman in cotton field

esta história é sobre mudança

Na China, 200 milhões de pessoas dependem da agricultura de pequena escala como fonte de subsistência. Enquanto colhem o máximo que eles podem de grãos, algodão, soja e outras culturas, muitos produtores continuam participando de práticas agrícolas ecologicamente nocivas e insustentáveis. Esses métodos não conseguem mais atender às expectativas dos agricultores quanto ao aumento da produção agrícola — embora a China utilize hoje um terço dos fertilizantes vendidos em todo o mundo, as colheitas no país estão estagnadas.

A agricultura insustentável ameaça a população chinesa, assim como sua bela vida selvagem e seu extenso e diverso habitat. E se os pequenos produtores na China pudessem transformar suas práticas agrícolas de forma a contornar esse grande impacto e ainda prosperar social e economicamente? Começando pelo algodão, uma das principais — e mais prejudiciais — culturas do país, a Rare está trabalhando para expandir a agricultura orgânica como uma alternativa segura, rentável e ambientalmente amigável para os produtores.

a urgência da ação

O cultivo convencional do algodão é um dos mais prejudiciais ao meio ambiente em todo o mundo.

  • 2,4% das terras cultivadas no planeta são ocupadas por plantio de algodão; esse plantio é responsável, contudo, por 24% e 11% das vendas globais de inseticidas e pesticidas, respectivamente.
  • A cada ano, as chuvas arrastam 65% dos fertilizantes utilizados na agricultura para rios, lagos e fontes de água subterrâneas.

fazendo a transição para o orgânico

Para muitos agricultores, um dos principais obstáculos à transição para a agricultura orgânica é o custo. No longo prazo, a agricultura orgânica pode ser rentável, além de fornecer outros benefícios indiretos para as pessoas, como a melhoria da saúde e o acesso à água limpa. Por meio de extensa pesquisa e modelagem, a Rare desenvolveu um modelo econômico inovador para ajudar os produtores orgânicos a alcançar a sustentabilidade financeira, com potencial para aumentar o seu rendimento líquido em até 200%.

os três pilares de nosso modelo econômico
poly-cropping
Policultura
Nossos planos de cultivo incluem uma variedade de culturas, como milho, soja e algodão. Isso diversifica e protege a colheita de riscos como pragas e oscilações no clima e no preço.
closed-loop model
Modelo de circuito fechado
A Rare irá assegurar que os agricultores se beneficiem não somente da venda direta de suas colheitas, mas também do processamento dos produtos e seus subprodutos.
branding
Marca
A nossa estratégia de marca envolve as partes interessadas em toda a cadeia produtiva agrícola, criando iniciativas que ressaltam o apelo do produto orgânico.

a origem da solução

O programa de agricultura sustentável da Rare começou com um projeto-piloto de agricultura orgânica realizado na Reserva Natural de Tian-e-Zhou (TEZ) Oxbow na China, localizada em uma zona úmida na bacia do Yangtze, na província de Hubei, próximo às Reservas Naturais de Shishou Elk e de Finless Porpoise. Ali, em uma área de aproximadamente 40 hectares, os agricultores plantaram milho, algodão e soja, seguindo métodos orgânicos de cultivo que incluíam o uso de adubo orgânico e técnicas menos prejudiciais para a proteção de mudas de algodão contra pragas - sem fertilizantes artificiais, pesticidas químicos ou herbicidas. Os produtores também aderiram à policultura, um sistema de rotação de culturas que contribui para a fixação de nitrogênio e propicia uma melhoria na qualidade do solo antes do próximo cultivo. Como resultado, os agricultores colheram 10 mil kg de algodão, 60 mil kg de soja e 27,5 mil kg de milho, todos certificados como culturas orgânicas em transição.

A partir do sucesso dessa primeira colheita orgânica em Tian-e-Zhou, a Rare está usando as lições aprendidas com o projeto-piloto para replicar a agricultura sustentável em outras comunidades chinesas. Quanto mais agricultores testemunharem, na prática, os benefícios da agricultura orgânica, maior será a adesão e a migração para esse sistema, assegurando um futuro sustentável, seguro e rentável.